terça-feira, junho 26, 2007

Festa de São João nos Forcalhos

Caldo verde, sardinha assada, carne grelhada, vinho, saladas, bolos...pinho, boneca, rosmaninho, fogueira, música, boa disposição... foram os ingredientes de uma receita para mais um excelente convívio que, de há uns anos para cá ,tem vindo a ser realizado por amigos forcalhenses na nossa terra.

Ao som dos acordeonistas, Ti Vicente e Manuel da Lageosa, o pinho envolto de rosmaninho ia ardendo ( teimosamente...) até queimar a grande boneca de trapos, para a alegria dos presentes que já se entretinham saltando por cima da fogueira de rosmaninho.

Nem os cantadores da desgarrada faltaram: O Zé Ramos, o Adérito Manso e o Fernando Lourenço (Latote) cantaram ao desafio, acompanhados pelos acordeonistas de serviço. São João foi verdadeiramente a fonte de inspiração.


As crianças protagonizaram os saltos à fogueira, criando situações hilariantes...

Crianças, jovens e menos jovens saltaram vezes sem conta, por cima das labaredas aromatizantes e purificadoras, sob os aplausos dos que observavam e comentavam alguns saltos mais arriscados .Foram sem dúvida os momentos mais animados da festa.

Mais de meia dúzia de pessoas se empenharam nos preparativos, nesta quadra dos Santos Populares, arriscando-se a reavivar a fogueira de uma antiga tradição:
...o Adérito Manso e o Nuno, filho do Américo, prepararam o pinho e o material para assar as sardinhas e a carne; a Arminda cozinhou o caldo verde que estava um primor; o Raúl trouxe as sardinhas e preparou com a Katia, como mais ninguém sabe, uma salada com pimentos assados; a boneca de trapos foi tomando forma nas mãos da mãe do Zé-Tó ( o marido da Isabel) e de algumas amigas da Lageosa que também confeccionaram uma salada de atum; o Tó da Maria e o Adérito foram incansáveis à volta do braseiro... não querendo prolongar a lista dos que ajudaram a concretizar este evento, resta mesmo desejar que se mantenha esta tradição!

Nota: Já sabemos que, em princípio, para o ano há mais: espontâneamente, no decurso de conversas e comentários sobre o convívio, surgiu a ideia de serem nomeados mordomos para o ano seguinte. São eles, o Quim do Ilídio e o David do Ismael. Parabéns aos novos mordomos e que a festa continue!

Fotografias: Lucinda Luís Manso, Maria João Calado Carlos e Armindo
fdmc/o6/2007

terça-feira, junho 19, 2007

Convívio / Festa de São João

No Sábado, Forcalhenses organizam um convívio na noite de São João, a partir das 20h00 no Largo da Associação.

Haverá Caldo Verde, Sardinha Assada, Vinho e Música.



Os interessados devem inscrever-se no café da Associação até 6ª Feira ( 22 de Junho).

Aparece e traz um amigo!



( vamos saltar a fogueira...)

A festa vai começar
Com rosmano e balão
Toda a gente vai dançar
Na noite de São João

Há festa em Portugal
São os Santos Populares
Da sardinha ao manjerico
Os cheiros andam pelos ares.
( Vários Autores)
( Registem uma quadra alusiva aos santos populares..elas serão publicadas aqui...dizem que dá sorte!
fidmc/06/2007

quarta-feira, junho 13, 2007

Rei D.Carlos I e Rainha D. Amélia inauguram Hospital Sousa Martins na Guarda

No dia 19 de Maio de 2007, na Guarda, decorreram as comemorações do centenário do Hospital Sousa Martins da Guarda (o primeiro Sanatório da Assistência Nacional aos Tuberculosos).
Foi recriada a inauguração histórica do Hospital (do dia 18 de Maio de 1907) com a presença da família real,( o Rei D. Carlos I e a Rainha D. Amélia )e respectiva comitiva.


As ruas da cidade, (de onde se podia ver varandas de algumas casas devidamente ornamentadas com lindas colchas bordadas), receberam as suas majestades e os seus seguidores, transportando os espectadores, por momentos, noutro cenário histórico, longe da confusão da civilização moderna onde impera a alta tecnologia regente.
Eram rei, rainha, clero, nobreza, cavaleiros, o povo, coches, bandeiras de Portugal da época agitadas , flores ...

Houve discursos e música clássica.Não faltaram também figurantes trajados a rigor ( pelo grupo de Teatro Municipal da Guarda). Espectacularmente bem caracterizados. Foi muito interessante.
Um pouco de História:
No final do do séc. XIX a tuberculose matava milhares de portugueses. O médico Sousa Martins tinha indicações que o clima de altitude em Portugal tinha condições excepcionais no tratamento da tuberculose pulmonar, por isso aconselhava a transferência de doentes para localidades de montanha. É nessa altura que é sugerida a criação de um sanatório na Guarda que acabara por receber pacientes de todos os pontos do país.O Antigo Sanatório foi durante várias décadas do século passado "um incontornável cartaz de divulgação da Guarda, projectando-a como a cidade da saúde.

( Fotos cedidas por Fernanda Neto)

Foram recriadas as seguintes situações:
- Chegada dos Reis à estação dos Caminhos de Ferro,
- Cortejo dirigindo-se para a Igreja da Misericórdia onde se realizou um solene Te Deum
- Inauguração feita pela Rainha D. Amélia no Sanatório Sousa Martins.

FIDMC/05/2007